domingo, 29 de abril de 2012

Prefeita Paulinha desiste de ser candidata em Monção


Prefeita Paulinha não é mais candidata
A prefeita Paulinha desistiu de ser candidata a prefeita de Monção. Ao contrário do que pregava muitos aliados da prefeita de que ela seria candidata à reeleição em 2012, a prefeita Paulinha jogou a toalha e disse nesta última sexta-feira (29) que não é mais candidata a prefeita de Monção nas próximas eleições. Mesmo depois de está em plena campanha desde o final do ano passado quando arregimentou diversas lideranças políticas ao seu grupo.
  Os motivos são muitos, desde falta de motivação até um impedimento judicial que é o mais provável. Tudo indica que Paulinha tenha refletido melhor sobre a possibilidade de não ser candidata pela imposição da Lei da ficha limpa. Segundo a lei, fica inelegível, desde a condenação até oito anos após o cumprimento da pena, o político condenado por crimes eleitorais (compra de votos, fraude, falsificação de documento público), lavagem e ocultação de bens, improbidade administrativa, entre outros
 A prefeita Paulinha tem várias prestações de contas de quando exerceu a Presidência da Câmara de Monção julgadas irregulares pelo Tribunal de Contas do Estado do Maranhão – TCE/MA, dos exercícios financeiros de 2001, 2004, 2006 e 2007.  O Que inviabilizaria decisivamente sua candidatura.
 A pergunta agora é qual o rumo que vai tomar a prefeita Paulinha que controla um grupo político amplo composto de grandes nomes políticos na caminhada à sua sucessão. O certo é que Paulinha tinha um plano B, se não pudesse ou desistisse da sua candidatura, lançar o então secretário de educação do município, o senhor Jesiel Araujo. Mas o problema é que Jesiel tem uma rejeição muito grande dentro do próprio grupo da prefeita o que lhe inviabilizaria ser o candidato de consenso do grupo. O vice prefeito Ze Sousa, o ex-prefeito Murilo não concordam com a candidatura de Jesiel. Dizem que Jesiel não votou no grupo que elegeu Paulinha na última eleição onde apoiou Queiroz.
 Fontes de Monção ligadas à prefeita Paulinha dizem que ela já está buscando entendimento com o ex-prefeito, Henrique Silva, no sentido de apoiar sua esposa, Claudia Silva para não perder a eleição.
Neste contexto tudo indica que Monção terá apenas dois candidatos a prefeito, o oposicionista Queiroz e a ex-primeira dama do município, Claudia Silva apoiada pela prefeita, que irão disputar a simpatia do eleitorado Monçonense. A disputa promete muito.

As convenções para a escolha dos candidatos ocorrerão entre 10 e 30 de junho, e o registro destes através dos partidos e coligações deverá ocorrer até 5 de julho. A partir do registro, já poderá começar a ser feita a propaganda eleitoral. Serão eleitos prefeitos, vice-prefeitos e vereadores em 5 566 municípios brasileiros. Apenas as cidades com mais 200 mil eleitores terão segundo turno.

10 comentários:

  1. Eu não acreditava que Paulinha fosse candidata porque ha muito tempo ouço as pessoas aqui em Monção falar q ela nao pode ser candidata.Será quem ela vai apoiar agora.

    ResponderExcluir
  2. O prefeito de pindare mirim e muito bom mesmo em termos de desrespeitar as leis nem a lei de responsabilidade fiscal ele respeita pois ultrapassa os 60% permetido por lei e chega a atingir 80%.Pindaré vai ficar no buraco quando ele sair da prefeitura.

    ResponderExcluir
  3. O povo do concurso nunca foi nomeado.

    ResponderExcluir
  4. Pindare é terra sem Lei pessoal. Aqui não tem prefeito, não tem Juiz e não tem Promotor de Justiça. Não tem Câmara de vereadores também, tem um grupo de subservientes do prefeito.

    ResponderExcluir
  5. Para acabar com a incerteza que cerca a nomeação dos aprovados em concursos no país, o Senado poderá examinar, no próximo semestre, o PLS 154/11, do senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), que torna obrigatória nomeação de candidato aprovado em concurso público para provimento de cargos ou empregos públicos da União dentro das vagas previstas no edital.

    O objetivo é assegurar os direitos dos aprovados, obrigando a administração pública a preencher, durante o período de validade do concurso, pelo menos todas as vagas previstas no edital.

    Na prática, o projeto regulamenta entendimento do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que já tomou várias decisões assegurando a nomeação de candidato aprovado dentro do número de vagas.

    Conforme o parlamentar, o projeto busca corrigir essa distorção, concedendo aos candidatos classificados "não apenas a expectativa de direito, mas o direito efetivo à nomeação".

    "Não é moral, razoável ou justo que o Poder Público publique edital de concurso público, provocando a mobilização de dezenas ou mesmo centenas de milhares de candidatos que, uma vez aprovados e classificados dentro do número de vagas expressamente estabelecido no edital, veem seus esforços frustrados pela omissão do Poder Público em nomeá-los", argumenta o senador na proposta

    ResponderExcluir
  6. Só em pindare que nao acontece nada

    ResponderExcluir
  7. O NOME DO CANDIDATO A PREFEITO DE MONÇÃO É JESIEL ARAÚJO, CONFIRMADO AMIGO FOI ESTA A DECISÃO DO GRUPO POLÍTICO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jesiel só se for o teu candidato

      Excluir
  8. e pindare mirim porque o prefeito faz tudo contra a justiçal e nao acontece nada.
    os aprovado no concurso de pindare nunca foi nomeado.
    isso e uma sacanagem e nem vai ser

    ResponderExcluir
  9. Prefeito, com essa voce e seu candidato forasteiro e mauricinho vao levar uma taca nas urnas!! Nos aprovados nao somos palhaço vagabundo!!!

    ResponderExcluir

Comente aqui: